quinta-feira, 6 de Maio de 2010

Euros de prova - moedas de fantasia

O que em princípio foi uma forma de demonstrar aos britânicos, dinamarqueses e suecos como poderia ser o lado nacional das suas moedas de euro depressa se converteu numa fonte contínua de novos euros de prova e num negócio lucrativo.

As moedas de fantasia foram criadas por empresas privadas como a International Numismatic Agency no Reino Unido ou a Europ-Mint na Suíça para vender aos coleccionadores, tanto para os países da União Europeia fora da zona do Euro (Malta, Suécia e Dinamarca), como para outros países europeus (Andorra, Suíça, Liechtenstein e Noruega) e territórios (Córsega, Creta, Gibraltar, Guernsey, Jersey).

São habitualmente encontradas em conjuntos. O conjunto de oito moedas contém 1, 2, 5, 10, 20 e 50 cêntimos e 1 e 2 euros, enquanto que o de 9 moedas contém uma moeda adicional de 5 euros.

Em rigor são moedas apócrifas ou de fantasia, isto é, pretendem passar por moedas que nunca existiram. Embora nestas moedas apareçam inscritas várias palavras, tais como: prueba - specimen - essai - probe - prove - prova - trial - pattern, os coleccionadores mais distraídos podem ser facilmente enganados. São falsas moedas que não têm valor legal em lugar nenhum.

Algumas destas moedas têm uma cunhagem esplêndida (como é o caso das cunhadas pelo INA (International Numismatic Agency) ou pela Europ Mint, mas outras têm um desenho muito pobre e pouco elaborado. A grande maioria dos imitadores copiam inclusivamente o desenho das carteiras originais da INA.

Aqui ficam dois exemplos dessas moedas de fantasia, falsas moedas comemorativas, cunhadas com o nome de Portugal:


2 euros - 2009
10 Anos União Monetária
2 euros - 2007
Tratado de Roma

Para ver euros de prova de todo o mundo consulte esta página

Subscribe | More

Sem comentários:

Enviar um comentário